Ferramentas Pessoais
Você está aqui: Entrada Notícias Exportações do setor da Saúde crescem 11% em 2014 para novo máximo histórico

Exportações do setor da Saúde crescem 11% em 2014 para novo máximo histórico

 

As exportações do setor da Saúde atingiram em 2014 os 1.162 milhões de euros, valor que representa um novo máximo histórico e que corresponde a um incremento de 11% face a 2013, segundo cálculos do Health Cluster Portugal (HCP), com base em dados do INE. Comparativamente a 2008 – ano em que o HCP foi criado e a partir do qual estão disponíveis dados sistematizados – o aumento ascende a 85%.

O crescimento verificado em 2014 posiciona o setor da Saúde muito acima da média nacional nas exportações de bens, uma vez que, de acordo com o INE, no conjunto do ano as exportações portuguesas de bens aumentaram 1,9% face a 2013.

Os Estados Unidos da América lideram a lista dos principais destinos das exportações do setor da Saúde, com um aumento das vendas no último ano superior a 190%. Logo de seguida, com valores absolutos muito próximos, surge a Alemanha, que historicamente tem sido um dos principais mercados de destino, com números sempre em alta em anos recentes. Também com uma evolução positiva, seguem-se na lista os mercados de Angola e Reino Unido.

 

 

2010

2011

2012

2013

2014

EUA

44

95

57

61

179

Alemanha

152

171

173

175

177

Angola

48

86

106

121

135

Reino Unido

57

84

98

106

123

 

Segundo Luís Portela, Presidente da Direção do HCP, «o crescimento sustentado das exportações que o setor da Saúde tem vindo a registar ao longo dos últimos anos reflete o crescente reconhecimento da qualidade e da competitividade dos produtos 'made in Portugal', designadamente em alguns dos maiores e mais exigentes mercados a nível global, como são os EUA e a Alemanha».

De notar que o valor de 1.162 milhões de euros alcançado em 2014 compreende a exportação de produtos farmacêuticos de base, de preparações farmacêuticas, de equipamentos de radiação, eletromedicina e eletroterapêutico, e de instrumentos e material médico-cirúrgico. Por não existir informação sistematizada, não são consideradas as vendas de empresas portuguesas sedeadas no estrangeiro, assim como de soluções de e-health, de serviços, e de componentes de plástico para incorporação em dispositivos – áreas nas quais Portugal afirmou já internacionalmente a sua excelência tecnológica e de inovação.

Como objetivos para o setor da Saúde, o HCP estima, até 2020, perfazer o lançamento de 5 novos fármacos e de 50 dispositivos médicos e métodos de diagnóstico 'made in Portugal', e alcançar os 3 mil milhões de euros de volume de negócios, dos quais mais de dois terços representarão exportações.

 

(HCP, 9 de março de 2015)